PERFIL DA MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DE GÊNERO: UM ESTUDO DOCUMENTAL

Patrícia Pereira Tavares de Alcântara, Aretha Feitosa de Araújo, Antonio Germane Alves Pinto, Maria Regilânia Lopes Moreira, Mirna N. A. de Sá Barreto Marinho, João Paulo Xavier Silva, Maria Andréia da Costa Facundo

Resumo


A violência contra a mulher se configura como um dos principais problemas relacionados à violação dos direitos humanos, responsável por danos pessoais, sociais, econômicos, políticos e familiares. Objetivou-se conhecer o perfil das mulheres vítimas de violência. Pesquisa documental de abordagem quantitativa realizada em abril de 2015 a partir dos registros fornecidos pela Delegacia de Defesa da Mulher do município de Crato, Ceará, que apontaram um quantitativo de 49 mulheres que realizaram denúncias de violência. Utilizou-se gráficos de colunas verticais no programa Microsoft Excel 2013. Respeitaram-se os aspectos éticos relacionados às pesquisas com seres humanos. As denunciantes apresentavam faixa etária entre 30 a 40 anos, residiam no município de Crato e predominantemente possuíam filho único, eram solteiras, exerciam atividades domésticas e possuíam o ensino fundamental. De acordo com a análise realizada, a violência se inicia de forma psicológica e posteriormente se torna física, e que os achados apresentam consonância com o perfil do restante do país. Para tanto, evidenciou-se a necessidade de um maior envolvimento social na redução da magnitude deste problema que atinge mulheres independentemente do contexto, porém, no município investigado, há bastante relação com o baixo índice de educação e a falta de renda, demonstrando que o machismo ainda impera na sociedade contemporânea.


Palavras-chave


Violência contra a mulher. Violência de gênero. Perfil das mulheres.

Texto completo:

Inglês Português

Referências


Brilhante AVM, Moreira GAR, Viera LJES, Catrib AMF. Um estudo bibliométrico sobre a violência de gênero. Saúde Soc [Internet]. 2014 [acesso em 2017 fev 14]; 25(3): 703-715. DOI: dx.doi.org/10.1590/S0104-12902016148937

Sakata KN, Egry EY, Narchi NZ. A política brasileira de redução de acidentes e violência se alinha às perspectivas internacionais? Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2014 [acesso em 2017 fev 14]; 48(Esp2): 208-215. DOI: dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000800029

Organização Mundial de Saúde. Multi-country study on women's health and domestic violence against women. Geneva; 2005.

Silva ACLG, Coelho EBS, Moretti-Pires RO. O que se sabe sobre o homem autor de violência contra a parceira íntima: uma revisão sistemática. Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2014 [acesso em 2017 mar 02]; 35(4): 278-283. Disponível em: .

Velloso RR. Violência contra a mulher. Rev de criminologia e ciências penitenciárias [Internet]. 2013 [acesso em 2017 mar 02]; 3(1): 1-3. Disponível em: .

Duarte MC, Fonseca RMG, Souza V, Pena ED. Gênero e violência contra a mulher na literatura de enfermagem: uma revisão. Rev Bras Enferm [Internet] 2015 [acesso em 2017 mar 06]; 68(2): 325-332. DOI: dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680220i

Acosta DF, Gomes VLO, Barlem ELD. Perfil das ocorrências policiais de violência contra a mulher. Acta Paul Enferm [Internet]. 2013 [acesso em 2017 mar 02]; 26(6): 547-553. DOI: dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000600007

Almeida LR, Silva ATMC, Machado LS. O objeto, a finalidade e os instrumentos do processo de trabalho em saúde na atenção à violência de gênero em um serviço de atenção básica. Interface (Botucatu) [Internet]. 2014 [acesso em 2017 fev 17]; 18(48): 47-59. DOI: dx.doi.org/10.1590/1807-57622014.0560

Momo DC, Paiva JA, Ribeiro ASC, Cardoso BLD, Souza WJ. Institucionalização de políticas públicas de promoção da igualdade de gênero: sistematizando trajetórias de iniciativas nacionais e internacionais. Revista HOLOS [Internet].2013 [acesso em 2017 jan 12]; 1: 188-202 2013. DOI: dx.doi.org/10.15628/holos.2013.1296

Sinimbu RB, Mascarenhas MDM, Silva MMA, Carvalho MGO, Santos MR, Freitas MG. Caracterização das vítimas de violência doméstica, sexual e/ou outras violências no Brasil – 2014. Rev Saude em foco [Internet]. 2016 [acesso em 2017 mar 07]; 1(1): 1-14. Disponível em: .

Waiselfisz JJ. Mapa da violência 2015: homicídio de mulheres no Brasil. Organização Pan-Americana da Saúde – Organização Mundial da Saúde. OPAS/OMS. 1.ed: Brasília; 2015. [ acesso em 2017 mar 07]. Disponível em: .

Conselho Nacional de Defesa da Mulher do Crato. Relatório do ano 2014. Crato, CE; 2015.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). População estimada 2016. Crato, CE. [acesso em 2017 mar 10]. Disponível em: .

Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as seguintes diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União. dez 2012. [acesso em 2017 mar 12]. Disponível em: .

Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução nº 500, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes. Diário Oficial da União. abr 2016. [acesso em 2017 mar 12]. Disponível em: .

Anjos KF, Santos VC, Souza R, Eugênio BG. Aborto e saúde pública no Brasil: reflexões sob a perspectiva dos direitos humanos. Rev Saúde em debate [Internet]. 2013 [acesso em 2017 mar 12]; 37(98): 504-515. DOI: dx.doi.org/10.1590/S0103-11042013000300014

Guimarães MC, Pedroza RLS. Violência contra a mulher: problematizando definições teóricas, filosóficas e jurídicas. Psicol. Soc. [Internet]. 2015 [acesso em 2017 mar 10]; 27(2): 256-266. DOI: dx.doi.org/10.1590/1807-03102015v27n2p256

Romagnoli RC. A violência contra a mulher em Montes Claros. Rev Barbarói [Internet]. 2015 [acesso em 2017 mar 09]; 1(43): 1-21 Disponível em: .

Zaleski M, Pinsky I, Laranjeira R, Ramisetty-Mikler S, Caetano R. Violência entre parceiros íntimos e consumo de álcool. Revista de Saúde Pública [Internet]. 2010 [acesso em 2017 mar 10]; 44(1): 53-59. DOI: dx.doi.org/10.1590/S0034-9102010000100006

Souza AA. Educação e sociedade: um estudo exploratório acerca dos meandros da violência juvenil. Revista HOLOS [Internet]. 2015 [acesso em 2017 mar 08]; 4: 52-62, ago. 2015. DOI: dx.doi.org/10.15628/holos.2015.3197

Costa MS, Serafim MLF, Nascimento ARS. Violência contra a mulher: descrição das denúncias em um Centro de Referência de Atendimento à Mulher de Cajazeiras, Paraíba, 2010 a 2012. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2015 [acesso em 2017 mar 08]; 24(3): 551-558. DOI: dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000300022

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Políticas de Saúde. Violência intrafamiliar: orientações para a prática em serviço. Brasília: Ministério da Saúde; 2001. (Caderno de Atenção Básica, 8).

Pedrosa CM, Spink MJP. A Violência Contra Mulher no Cotidiano dos Serviços de Saúde: desafios para a formação médica. Saúde e Sociedade [Internet]. 2011 [acesso em 2017 mar 08]; 20(1). DOI: dx.doi.org/10.1590/S0104-12902011000100015

Porto M, Bucher-Maluschke JSNF. Violência, mulheres e atendimento psicológico na Amazônia e no Distrito Federal. Psicol. estud. [Internet]. 2012 [acesso em 2017 mar 10]; 17(2): 297-306. DOI: dx.doi.org/10.1590/S1413-73722012000200013




DOI: http://dx.doi.org/10.19095/rec.v6i1.321

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXAÇÃO

LATINDEX: Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal