AVALIAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM UMA CANTINA ESCOLAR DO MUNICÍPIO DE MISSÃO VELHA-CE

Maria Jannyelle Ribeiro Macêdo, Janeanne Nascimento Silva Lopes

Resumo


A alimentação escolar é de fundamental importância no processo de aprendizagem desde os primeiros anos da vida. Nas cantinas escolares há uma intensa produção e manipulação de alimentos, o que demonstra a necessidade da implementação das Boas Práticas de Fabricação para garantir a qualidade dos produtos ofertados. Neste contexto, a presente pesquisa teve como objetivo avaliar as Boas Práticas de Fabricação em uma cantina de uma escola do Município de Missão Velha-CE. Trata-se de uma pesquisa de natureza quantitativa, descritiva, realizada em uma cantina de uma escola de ensino fundamental localizada na zona rural do município de Missão Velha – CE. A pesquisa foi realizada no período de agosto a setembro de 2017, utilizando como instrumento para coletas de dados um check-list baseado na resolução RDC nº275/2002. Após aplicação do check-list foi realizado um treinamento sobre boas práticas na manipulação de alimentos aos manipuladores. Os percentuais de inadequação nas escolas variaram entre 22,59% a 48,39%, mostrando o descumprimento da legislação vigente. Com base nesse contexto, vale ressaltar a importância do treinamento e orientação continuada dos funcionários para que conheçam e cumpram as condutas e as limitações existentes, garantindo o objetivo de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e nesse caso, das escolas, intervir nos possíveis problemas sanitários em todas as etapas e processos, da produção ao consumo da merenda escolar.


Palavras-chave


Alimentação Escolar; Boas Práticas de Fabricação; Manipulador de Alimento.

Texto completo:

Inglês Português

Referências


Manual de Boas Práticas na Alimentação Escolar da Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso do Sul. Mato Grosso do Sul. 2012. Disponível em< http://www.sed.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/67/2015/05/Manual-de-Boas-Pr%C3%A1ticas-na-Alimenta%C3%A7%C3%A3o-Escolar.pdf> acesso em: 26 de Agosto de 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Diário Oficial da União 2004; 16 set.

Andrade RMF. Diagnóstico das Boas Práticas de Fabricação em Cantina da Escola Do Município de Ferreiros-PE. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Química), Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campina Grande-PB, 2014.

Marchi DM, Baggio N, Teo CRPA, Busato MA. Ocorrência de surtos de doenças transmitidas por alimentos no Município de Chapecó, Estado de Santa Catarina, Brasil, no período de 1995 a 2007. Epidemiol Serv Saúde. 2011; 3(20): 401-407.

Aguiar LP. Avaliação das boas práticas nas cozinhas das escolas de ensino infantil e fundamental do município de Caucaia – CE. Monografia (Pós-graduação em Vigilância Sanitária), Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, 2009.

Stedefeldt E, Cunha DT, Silva Junior EA, Silva SM, Oliveira ABA. Instrumento de avaliação das Boas Práticas em Unidades de Alimentação e Nutrição Escolar: da concepção à validação. Cien Saude Colet. 2013; 18 (4): 947-953.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n. 275 de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o regulamento técnico de procedimentos operacionais padronizados aplicados aos estabelecimentos produtores /industrializadores de alimentos e a lista de verificação. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br. Acesso em: 10 set. 2017.

Amaral DA, Souza CF, Barcellos LS, Tonini PM, Ferreira MA, FERREIRA CC. Avaliação das condições higiênico-sanitárias das cantinas de escolas públicas de um município do interior de São Paulo. HU Revista. 2012; 38(1,2): 111-117.

Santos CRA. Inconformidades presentes em cantinas escolares de um município do sertão baiano segundo legislação vigente. Monografia (Especialização em Gestão da Qualidade e Vigilância Sanitária em Alimentos), Universidade Federal Rural Do Semi-Árido, Recife – PE, 2009.

Costa JN. Aspectos higiênicos e sanitários de unidades de produção de alimentos: estudo de caso de cozinhas das escolas da rede municipal de ensino fundamental de Urandi, Bahia. Seropédica – UFRR. Dissertação (Mestrado) - Ciência e Tecnologia de Alimentos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica – RJ, 2006.

Weis B, Chaim NA, Belik W. Manual da gestão eficiente da merenda escolar. 3ª ed. São Paulo, 2007.

Figueiredo ESE, et al. Avaliação das condições Higiênico-sanitárias de manipulação de comercialização de produtos de origem animal nas feiras livres do município de Cuiabá – MT. Revista Higiene Alimentar. 2007; 21(148): 38-42.

Azevedo TBC, Lavinas FC, Ribeiro RL. A importância dos manipuladores no controle de qualidade dos alimentos. Saúde & Ambiente em Revista. 2008; 3(1): 129.

Aberc. Associação Brasileira das Empresas de Refeições Coletivas. Manual ABERC de Práticas de Elaboração e Serviço de Refeições para Coletividades. 10 ed, São Paulo; 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.19095/rec.v6i1.369

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXAÇÃO

  • LATINDEX: Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDIB(Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico): é uma plataforma para agregação de conteúdo científico e acadêmico em formato eletrônico produzido no contexto ibero-americano, relacionado a ele em um sentido cultural e social mais amplo e geograficamente não restritivo.
  • GOOGLE SCHOLAR: é uma ferramenta de pesquisa do Google que permite pesquisar em trabalhos acadêmicos, literatura escolar, jornais de universidades e artigos variados.