INVESTIGAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE SUSHIS COMERCIALIZADOS NAS CIDADES DE CRATO E JUAZEIRO DO NORTE – CE

Keyla Pereira Guimarães, Raynio Markfá Rocha Silva, Karina Pereira Guimarães

Resumo


A alimentação é considerada essencial para a sobrevivência humana como necessidade vital e básica, direcionada pela cultura e efeito da organização da sociedade. Dentre os alimentos, o sushi é um dos mais inseridos no cardápio japonês, apresentando destaque na alimentação brasileira, especialmente quando se busca uma refeição mais saudável. No entanto, o consumo de peixe pode ocasionar algumas doenças, quando contaminados por bactérias, vírus e parasitas, sendo sua causa justificada pela sua alta perecebilidade, manipulação e processamento inadequado. O objetivo desse trabalho é investigar, mesmo que de forma não aprofundada, a qualidade microbiológica de sushis comercializados nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte-CE. Foram coletadas 30 amostras em locais aleatórios, acondicionadas em recipientes térmicos e conduzidas para análises microbiológicas de coliformes totais e fecais. Na análise para coliformes totais 24 (80%) das 30 amostras analisadas apresentaram contagem elevada. No entanto, não existe limite estabelecido para o grupo pela legislação vigente para esse alimento. Em relação ao grupo dos coliformes fecais verificou-se que 100% das amostras estavam de acordo com padrão (10² NMP/g) preconizado pela resolução, sendo que, 7 (23%) das 30 amostras demonstraram perfil satisfatório por apresentarem valores que não excedem o limite máximo. Diante dos dados apresentados, observou-se que as amostras analisadas nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte, estão de acordo com os critérios da legislação, podendo ser consideradas satisfatórias para o consumo.

Palavras-chave


Alimentação, Microbiologia, Sushi

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Agência Nacional De Vigilância Sanitária Rdc nº. 12, de 02 de janeiro de 2001. Regulamento Técnico sobre os Padrões Microbiológicos para Alimentos.Disponível em: http://anvisa.gov.br/legis.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Alimentação saudável e sustentável. Brasília p. 92, 2007.

CASCUDO, L. da C. História da alimentação no Brasil. In: História da alimentação no Brasil. Global, 2011.

DE SOUZA, T. J. F. F. et al. Microrganismo de interesse sanitário em sushis. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 74, n. 3, p. 274-279, 2015.

JOOMLA. O que são Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA)?. Dicas para uma Alimentação Saudável, 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 de maio de 2013.

LIMA, R. M. T. et al. Avaliação microbiológica de sushis e sashimis comercializados na cidade do Recife-PE. 2009.

MADRIGAL, A. P. et al. Estudio bacteriológico de sushi preparado y comercializado em San José, Costa Rica. Revista Costarr Salud Pública. v.22, n.01. Costa Rica, 2013.

MARTINS, F, O. Avaliação da qualidade higiênico-sanitária de preparações (sushi e sashimi) a base de pescado cru servidos em bufês na Cidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Saúde Pública, USP – São Paulo, 2006.

MONTANARI, A. S. et al. Avaliação Da Qualidade Microbiológica De Sashimis De Salmão, Preparados E Comercializados Em Restaurantes Japonês No Município De Ji-Paraná Ro. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 2, n. 1, 2015.

PATROCÍNIO, I. D. R. A segurança alimentar no consumo de pescado cru com valência para a produção de sushi. Dissertação (Ciências e Tecnologia Ecologia da Hidrosfera). Universidade Nova de Lisboa. Lisboa, 2009.

PELAYO, M. Microrganismos en alimentos, no todos son iguales. Eroski Consumer, 2010. Disponivel em: . Acesso em: 02 de abril de 2013.

PIAZZALUNGA, F. F.; RIBEIRO, A. B. Treinamento em boas práticas para merendeiras de escolas e creches municipais da cidade de Iretama, PR. Revista Higiene Alimentar, v.25, p.24- 32, Paraná, 2011.

PINHEIRO, H. M. C. et al. Salmonella sp. e coliformes termotolerantes em sushi e sashimi comercializados na cidade de Fortaleza-Ceará. Boletim Técnico Cientifico do Cepene, v. 14, n. 1, p. 23-31, 2006.

SANTOS, A. A. et al. Avaliação da qualidade microbiológica de sushi comercializado em restaurantes de Aracaju, Sergipe. Scientia Plena. v. 08, n. 03. 2012.

SILVA, N. et al Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Alimentos. 3. ed. São Paulo: Livraria Varela, p.552, 2007.

SOUSA, C. P. Segurança alimentar e doenças veiculadas por alimentos: utilização do grupo coliforme como um dos indicadores de qualidade de alimentos. Revista Atenção Primária à Saúde, São Paulo, v.9, n.1, p. 83-88, 2006.

SOUSA, D. B. Avaliação microbiológica de sushis comercializados em estabelecimentos do tipo auto-serviço na cidade de Teresina - PI. Revista Higiene Alimentar. v.25. 2011.

TARTLER, N.; FORTUNA, J. L. Qualidade microbiológica de mãos e luvas e avaliação higiênico-sanitária dos manipuladores de alimentos em uma praça de alimentação em Teixeira de Freitas-BA. Revista Brasileira de Ciência Veterinária, v. 19, n. 2, p. 104-108, 2012.

TEIXEIRA. et al Qualidade do pescado: captura, conservação e contaminação. Acta de Ciências e Saúde, v. 1, n. 2, p. 1-15, 2016.

TRABULSI, L. R.; ALTERTHUM, F. Microbiologia. 5 ed. São Paulo: Atheneu, p. 21-28, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.19095/rec.v4i2.166

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXAÇÃO

  • LATINDEX: Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDIB(Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico): é uma plataforma para agregação de conteúdo científico e acadêmico em formato eletrônico produzido no contexto ibero-americano, relacionado a ele em um sentido cultural e social mais amplo e geograficamente não restritivo.
  • GOOGLE SCHOLAR: é uma ferramenta de pesquisa do Google que permite pesquisar em trabalhos acadêmicos, literatura escolar, jornais de universidades e artigos variados.
  • SUMÁRIOS:  Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org) é uma base indexadora de periódicos científicos brasileiros que busca ampliar a divulgação e o acesso aos periódicos científicos nacionais.