PERCEPÇÃO DA IMAGEM CORPORAL DE PESSOAS COM BAIXO PESO E FATORES ASSOCIADOS

Mariana Gabriele de Souza Ferreira, Mariana Machado Bueno

Resumo


A busca pelo corpo socialmente visto como ideal têm sido uma preocupação, principalmente das mulheres, no decorrer do tempo, interferindo diretamente no estado nutricional e nas relações interpessoais. Nesse sentido, objetivou-se analisar a percepção da imagem corporal de pessoas com baixo peso e fatores associados. Trata-se de um estudo transversal, qualitativo, realizado com 7 universitários de uma instituição de ensino superior privada, localizada em Juazeiro do Norte, Ceará, entre março e abril de 2018. Os dados foram coletados através de entrevista semiestruturada e utilizou-se a análise temática de Minayo. Os critérios de inclusão foram: universitários dos cursos da área da saúde, maiores de 18 anos de idade, em estado nutricional de magreza pelo IMC, e exclusão, gestantes e portadores de alguma patologia com utilização de algum medicamento que pode levar à condição de magreza. Percebeu-se então, que há insatisfação e que a autoestima é influenciada pela própria imagem corporal; os mesmos se sentem afetados e influenciados pelo que veem e ouvem com relação à corpos; genética e alimentação emergiram como causas do baixo peso; não se abalar psicologicamente foi o principal desafio enfrentado; e, como métodos utilizados pra promover o ganho de peso, estão a academia e estimulantes de apetite. Portanto, a percepção da imagem corporal de pessoas com baixo peso, em suma, não é satisfatória, ficando susceptíveis à influências do meio em que vivem, e gerando, assim, consequências que interferem na autoestima, no convívio social e na saúde.


Palavras-chave


Magreza. Belo. Autopercepção.

Texto completo:

Português Inglês

Referências


Souza MRR, Oliveira JF, Nascimento ER, Carvalho ESS. Droga de corpo! Imagens e representações do corpo feminino em revistas brasileiras. Revista Gaúcha de Enfermagem [Internet]. 2013 [acesso em 09 out. 2017]; 34(2): 62-69. Disponível em: .

Souza AC, Alvarenga MS. Insatisfação com a imagem corporal em estudantes universitários – Uma revisão integrativa. Jornal Brasileiro de Psiquiatria [Internet]. 2016. [acesso em 01 out. 2017]; 65(3): 286-299. DOI: 10.1590/0047-2085000000134

Silva ALS. Imperativos da beleza: corpo feminino, cultura fitness e a nova eugenia. Cad Cedes [Internet]. Maio/Agosto de 2012. [acesso em 15 ago. 2017]; 32(87): 211-222. Disponível em: .

Bracht CM, Piasetzki CTR, Busnello MB, Berlezi EM, Franz LBB, Boff ETO. Percepção da autoimagem corporal, estado nutricional e prática de atividade física de universitários do Rio Grande do Sul. O Mundo da Saúde [Internet]. 2013 [acesso em 02 out. 2017]; 37(3): 343-353. Disponível em: .

Fortes LS, Almeida SS, Ferreira MEC. A internalização do ideal de magreza afeta os comportamentos alimentares inadequados em atletas do sexo feminino da ginástica artística? Revista da Educação Física/UEM [Internet]. 2014. [acesso em 01 set. 2017]; 25(2): 181-191. DOI: 10.4025/reveducfis.v25i2.21866

Freitas CMSM, Lima RBT, Costa AS, Lucena Filho A. O padrão de beleza corporal sobre o corpo feminino mediante o IMC. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte [Internet]. Julho/Setembro de 2010. [acesso em 09 out. 2017]; 24(3): 389-404. DOI: 10.1590/S1807-55092010000300010

Ambroszkiewicza J, Gajewskaa J, Szamotulskab K, Rowickac G, Klemarczykc W, Chełchowskaa M. Comparison of body composition and adipokine levels between thin and normal-weight prepubertal children. Jornal de Pediatria [Internet]. 2017. [acesso em 01 out. 2017]; 93(4): 428-435. DOI: 10.1016/j.jped.2016.11.004

World Health Organization/Food and Agriculture Organization of the United NationsDiet, nutrition and the prevention of chronic diseases, Report of a Joint WHO/FAO Consultation, 2003. Geneva, Switzerland: World Health Organization (WHO technical report series 916). [acesso em 28 set. 2017]. Disponível em: .

Minayo MCS. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2012. [acesso em 23 out. 2017]; 17(3): 621-626. Disponível em: .

Macedo TTS, Portela PP, Palamira CS, Mussi FC. Percepção de pessoas obesas sobre seu corpo. Escola Anna Nery [Internet]. 2015. [acesso em 20 set. 2017]; 19(3): 505-510. DOI: 10.5935/1414-8145.20150067

Damasceno VO, Lima JRP, Vianna JM, Vianna VRÁ, Novaes JS. Tipo físico ideal e satisfação com a imagem corporal de praticantes de caminhada. Revista Brasileira de Medicina do Esporte [Internet]. Maio/Junho de 2005. [acesso em 20 set. 2017]; 11(3): 181-186. DOI: 10.1590/S1517-869220050003000 06

Poli Neto P, Caponi SNC. A medicalização da beleza. Interface - Comunicação, Saúde, Educação [Internet]. Setembro/Dezembro de 2007. [acesso em 07 out. 2017]; 11(23): 569-584. DOI: 10.1590/S1414-328320070003000 12

Sampaio RPA, Ferreira RF. Beleza, identidade e mercado. Psicologia Revista [Internet]. Abril de 2009. [acesso em 08 out. 2017]; 15(1): 120-140. Disponível em: .

Viana LV, Paula TP, Leitão CB, Azevedo MJ. Fatores determinantes de perda de peso em adultos submetidos a intervenções dietoterápicas. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia [Internet]. 2013. [acesso em 23 abr. 2018]; 57(9): 717-721. DOI: 10.1590/S0004-273020130009000 07

Alves D, Pinto M, Alves S, Mota A, Leirós V. Cultura e imagem corporal. Motricidade [Internet]. 2009. [acesso em 20 set. 2017]; 5(1): 1-20. DOI:10.6063/motricidade.5(1).184

Oliveira MCAM, Paulo MM. Influência da mídia no processo de desenvolvimento do adolescente. Revista Científica Eletrônica de Psicologia [Internet]. Maio de 2008. [acesso em 07 out. 2017]; (10): [cerca de 5p]. Disponível em: .

Lopes AF, Mendonça ÉS. Ser jovem, ser belo: a juventude sob holofotes na sociedade contemporânea. Revista Subjetividades [Internet]. Agosto de 2016. [acesso em 20 maio 2018]; 16(2): 20-33. DOI: 10.5020/23590777.16.2.20-33

Araújo KL, Pena PGL, Freitas MCS. Sofrimento e preconceito: trajetórias percorridas por nutricionistas obesas em busca do emagrecimento. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2015. [acesso em 16 maio 2018]; 20(9): 2787-2796. DOI: 10.1590/1413-81232015209.0754 2014

Kakeshita IS, Almeida SS. Relação entre índice de massa corporal e a percepção da auto-imagem em universitários. Revista de Saúde Pública [Internet]. 2006. [acesso em 10 set. 2017]; 40(3): 497-504. DOI: 10.1590/S0034-891020060003000 19

Leonidas C, Santos MA. Imagem corporal e hábitos alimentares na anorexia nervosa: uma revisão integrativa da literatura. Psicologia: Reflexão e Crítica [Internet]. 2012. [acesso em 01 out. 2017]; 25(3): 550-558. DOI: 10.1590/S0102-797220120003000 15

Shils ME, Shike M, Ross AC, Caballero B, Cousins RJ. Nutrição moderna na saúde e na doença 10ª ed. Barueri: Manole; 2009.

Jager ME, Comis DT, Mucenecki TF, Goetz ER, Ferraz RC, Foletto JS, Vasconcellos SJL. O corpo como meio de aceitação e inserção social: contribuições a partir de Jeffrey Young. Boletim de Psicologia [Internet]. 2017. [acesso em 20 maio 2018]; 68(146): 37-50. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/pdf/bolpsi/v67n146/v67n146a05.pdf>.

Claro RM, Santos MAS, Oliveira-Campos M. Imagem corporal e atitudes extremas em relação ao peso em escolares brasileiros (PeNSE 2012). Revista Brasileira de Epidemiologia [Internet]. 2014. [acesso em 01 out. 2017]; 17 Suppl 1: 146-157. DOI: 10.1590/1809-4503201400050012

Kubota LC. Discriminação contra os estudantes obesos e os muito magros nas escolas brasileiras. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) [Internet]. Janeiro de 2014. [acesso em 01 out. 2017]. Disponível em: .

Liz CM, Andrade A. Análise qualitativa dos motivos de adesão e desistência da musculação em academias. Revista Brasileira de Ciências do Esporte [Internet]. Julho/Setembro de 2016. [acesso em 18 maio 2018]; 38(3): 267-274. DOI: 10.1016/j.rbce.2015.11.005

Araújo IP, Franco MA, Mendes MIBS. O Corpo em Outdoors da Cidade de Natal/RN. Licere [Internet]. Junho de 2016. [acesso em 20 maio 2018]; 19(2): 136-167. Disponível em: .




DOI: http://dx.doi.org/10.19095/rec.v8i1.718

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXAÇÃO

  • LATINDEX: Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDIB(Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico): é uma plataforma para agregação de conteúdo científico e acadêmico em formato eletrônico produzido no contexto ibero-americano, relacionado a ele em um sentido cultural e social mais amplo e geograficamente não restritivo.
  • GOOGLE SCHOLAR: é uma ferramenta de pesquisa do Google que permite pesquisar em trabalhos acadêmicos, literatura escolar, jornais de universidades e artigos variados.
  • SUMÁRIOS:  Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org) é uma base indexadora de periódicos científicos brasileiros que busca ampliar a divulgação e o acesso aos periódicos científicos nacionais.