SÍNDROME DE BURNOUT EM DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR

Maria das Dôres Lopes Ferreira, Juliane Carla de Sousa Medeiros, Emanuely Rolim Nogueira, Elisangela Vilar Assis, Michel Jorge Dias

Resumo


A síndrome de Burnout é caracterizada por alterações emocionais, mentais e esgotamento físico e psíquico na saúde do trabalhador, sendo adquirida através da sobrecarga de trabalho, e atingindo várias classes profissionais, inclusive a de docentes universitários. Verificar a prevalência da síndrome de Burnout em docentes do ensino superior. O estudo caracteriza-se por ser uma pesquisa de natureza transversal, analítica, com abordagem quantitativa. O estudo foi constituído por 60 docentes da instituição e a amostra se deu por conveniência e aleatória. Foi aplicado um questionário elaborado pelos pesquisadores no qual constou dados sobre o perfil sociodemográfico, perguntas sobre questões relacionadas ao trabalho (turno, jornada, horas de descanso, tempo de profissão), e questões acerca do estilo de vida. Para mensurar o esgotamento profissional foi utilizado o questionário de Maslach Burnout Inventory (MBI). Os resultados mostraram que os docentes apresentaram um grau grave no domínio despersonalização (4,1), seguido do domínio exaustão emocional (2,7), e o terceiro fator referiu-se a baixa realização profissional (2,5), evidenciando um grau moderado com relação ao escore total da escala. O índice do escore total da escala encontrado no presente estudo indica que os docentes apresentam um grau de Burnout moderado. Não evidenciou-se nenhuma relação estatisticamente significativa entre a jornada de trabalho e o esgotamento profissional, entretanto, apesar de não ter encontrado significância, observa-se que as horas de trabalho apresentaram um valor de correlação positiva com exaustão emocional (r=0,21). Foi constatado que os docentes apresentam um grau elevado de despersonalização. Foi possível identificar que as dimensões exaustão emocional e baixa realização profissional foram às menos comprometidas. Por fim, o estudo indica que os docentes apresentam um grau de Burnout moderado.


Palavras-chave


Esgotamento profissional. Docentes. Saúde do trabalhador.

Texto completo:

Português Inglês

Referências


Massa LDB, Silva TSS, Sá ISVB, Barreto BCS, Almeida PHTQ, Pontes TB. Síndrome de Burnout em Professores Universitários. Rev Ter Ocup Univ . 2016;27(2):180-9.

Nunes SF, Smeha LN. Síndrome de Burnout em docentes. Disciplinar um Scientia. Série: Ciências Humanas, Santa Maria 2017;18(1):261-271.

Jung SM, Caveião C. Síndrome de Burnout: Alerta ao trabalhador. Caderno saúde e desenvolvimento. 2017;10(6):73-81.

Cacciari MB, Guerra VM, Martins-Silva PO, Cintra CL, Castello NFV. Percepções de professores universitários brasileiros sobre as virtudes mais valorizadas no exercício da docência. Psicologia Escolar e Educacional, 21(2), 313-322.

Dias FM, Santos JFC, Abelha L, Lovisi GM. O estresse ocupacional e a síndrome do esgotamento profissional (Burnout) em trabalhadores da indústria do petróleo: Uma revisão sistemática. Rev Bras Saude Ocup. 2016;41(11):1-12.

Gianasi BS, Oliveira DC. A Síndrome de Burnout e suas representações entre profissionais de saúde. Estud. pesqui. psicol. 2014;14(3):756-772.

Batista JBV, Carlotto MS, Coutinho AS, Augusto LGS. Prevalência da Síndrome de Burnout e fatores sociodemográficos e laborais em professores de escolas municipais da cidade de João Pessoa, PB. Rev Bras Epidemiol 2010; 13(3): 502-12.

Sousa ARF. Síndrome de Burnout nos médicos de medicina geral e familiar. Porto: Universidade de Ciências Biomédicas Abel Salazar, 2017. Trabalho de Conclusão de Curso em Medicina.

Balensiefer DA. Assédio moral a professores e a Síndrome de Burnout: implicações jurídicas no âmbito trabalhista. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2015. Trabalho de conclusão de Curso em Direito.

Maslach C, Jackson SE. Maslach Burnout Inventory. Palo Alto, CA: Consulting Psychologist Press. (2nd ed), 1986.

Robayo-Tamayo M. Relação entre a síndrome de Burnout e os valores organizacionais no pessoal de enfermagem de dois hospitais públicos. Brasília: Universidade de Brasília, 1997. Trabalho de Concussão de Curso em Psicologia Social e do Trabalho.

Maslach C, Jackson SE. The measurement experienced burnout. Journal of Ocuppational. Journal of Occupational Behaviour. 1981;2:99- 113.

Brasil. Ministério da Saúde . Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário oficial da união, 13 de junho de 2012.

Gomes AR, Montenegro N, Peixoto AMBC, Peixoto ARBC. Stress ocupacional no ensino: Um estudo com professores do 3º ciclo e ensino secundário. Psicologia & Sociedade; 22 (3): 587-597, 2010.

Mota ID, Marinho APR, Both J, Veiga MB, Farias GO. Relação entre atividade física e síndrome de Burnout em estudantes universitários: revisão sistemática. Pensar a Prática. 2019;22:1-15.

Borsoi ICF. Trabalho e produtivismo: saúde e modo de vida de docentes de instituições públicas de Ensino Superior. Cad Psicol Soc Trab. 2012; 15(1):81-100.

Okosun IS, Boltri M, Lyn R, Davis-Smith M. Continuous metabolic syndrome risk score, body mass index percentile, and leisure time physical activity in American children. J Clin Hypertens (Greenwich). 2010; 12(8):639-44.

Oliveira Filho A, Netto-Oliveira ER, Oliveira AAB. Qualidade de vida e fatores de risco de professores universitários. Revista da Educação Física / UEM. 2012;23(1), 57-67.

Marconato RS. Bombeiros e profissionais do resgate: capacidade para o trabalho e qualidade de vida.São Paulo: Universidade Estadual de Campinas, 2014. Trabalho de Conclusão de Curso em Enfermagem.

Reatto D, Silva DA, Isidoro ML, Rodrigues NT. Prevalência da Síndrome de Burnout no setor bancário no município de Araçatuba (SP). Arch Health Invest (2014) 3(2): 1-8.

Scherer MDA, Oliveira NA, Pires DEP, Trindade LL, Gonçalves ASR, Vieira M. Aumento das Cargas de Trabalho em Técnicos de Enfermagem na Atenção Primária á Saúde no Brasil. Trabalho Educação Saúde, v.14, n.1, p.89-104, Rio de Janeiro, 2016.

Griesang C. As LER/DORT na Visão do Trabalhador Adoecido: Um Estudo de Caso. Universidade de Santa Cruz do Sul Pós-Graduação em Saúde do Trabalhador. Santa Cruz do Sul, agosto, 2016.

Dalagasperina P, Monteiro JK. Preditores da síndrome de burnout em docentes do ensino privado. Psico-USF, Bragança Paulista. 2014;19(2):265-275.

Freitas AR, Carneseca EC, Eduardo C, Paiva BSR. Impacto de um programa de atividade física sobre a ansiedade, depressão, estresse ocupacional e síndrome de Burnout dos profissionais de enfermagem no trabalho. Rev Latino-Am. Enfermagem; 2014;22(2):332-6.

Ferreira LC M, Azzi RG. Docência, Burnout e considerações da teoria da auto eficácia. Psicologia Ensino & Formação. 2010;1(2), 23-34.

Galindo RH, Feliciano KVO, Lima RAS, Souza AI. Síndrome de Burnout entre enfermeiros de um hospital geral da cidade do Recife. Rev Esc Enferm USP 2012; 46(2):420-7.

Carlotto MS. Prevenção da Síndrome de Burnout em professores: Um relato de experiência. Mudanças – Psicologia da Saúde; 2014;22(1):31-39.

Mendonça AC F, Bezerra JAC. Síndrome de Burnout em Professores do Ensino Superior: Possíveis relações entre a exaustão física e emocional com a atividade da docência. Revista PLUS FRJ: Revista Multidisciplinar em Educação e Saúde da Faculdade Regional Jaguaribana. 2016;(1): 35-8.6

Vidal SRE. Síndrome Burnout em professores. Pedagogia em Ação. 2017;9(1):2175-7003.

Sanches GF, Vale BC, Pereira SS, Almeida CC, Preto VA, Sailer GC. Síndrome de Burnout entre concluintes de graduação em enfermagem. Rev enferm UFPE online. 2017;11(1):31-9.

Costa LST, Gil-Monte PR, Possobon RF, Ambrosano GMB. Prevalência da Síndrome de Burnout em uma Amostra de Professores Universitários Brasileiros. Psicologia: Reflexão e Crítica. 2013;26(4), 636-642.

Dutra LB, Aerts D, Alves GG, Câmara SG. A Síndrome de Burnout em docentes do ensino superior de instituições privadas de Santarém, PA. Tempus, actas de saúde colet. 2016;10(3), 115-136.

Bastos VGA, Saraiva PGC, Saraiva FP. Absenteísmo: doença no serviço público municipal da Prefeitura Municipal de Vitória. Rev Bras Med Trab. 2016;14(3):192-201.

Silveira ALP, Colleta TCD, Ono HRB, Woitas LR, Soares SH, Andrade VLA et al. Síndrome de Burnout: Consequências e implicações de uma realidade cada vez mais prevalente na vida dos profissionais de saúde. Rev Bras Med Trab. 2016;14(3):275-84.

Gonçalves TB, Leitão AKR, Botelho BS, Marques RACC, Hosoume VSN, Neder PRB. Prevalência de síndrome de Burnout em professores médicos de uma universidade pública em Belém do Pará. Rev Bras Med Trab. 2012;9(2):85-89.




DOI: http://dx.doi.org/10.19095/rec.v8i2.782

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXAÇÃO

  • LATINDEX: Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDIB(Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico): é uma plataforma para agregação de conteúdo científico e acadêmico em formato eletrônico produzido no contexto ibero-americano, relacionado a ele em um sentido cultural e social mais amplo e geograficamente não restritivo.
  • GOOGLE SCHOLAR: é uma ferramenta de pesquisa do Google que permite pesquisar em trabalhos acadêmicos, literatura escolar, jornais de universidades e artigos variados.
  • SUMÁRIOS:  Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org) é uma base indexadora de periódicos científicos brasileiros que busca ampliar a divulgação e o acesso aos periódicos científicos nacionais.